Apoiadores de Jair Bolsonaro vão às ruas criticar restrições da pandemia


 

Manifestantes pró-Bolsonaro se reuniram hoje em diferentes capitais do país em favor às pautas do governo Jair Bolsonaro (sem partido) e contra as medidas de isolamento social para conter a transmissão da covid-19, que são recomendadas por autoridades de saúde. Pela manhã, os apoiadores foram às ruas em ao menos dez estados e no Distrito Federal.

Em São Paulo, centenas de pessoas se aglomeraram em frente à Fiesp, na avenida Paulista, para gritar em apoio ao presidente, pedir intervenção militar e xingar o governador de São Paulo, João Doria (PSDB). Grande parte dos manifestantes, principalmente os que estavam aglomerados, não usava máscara de proteção, que é fundamental para evitar a disseminação da covid-19.


Veja Também: 


O principal alvo dos manifestantes continua sendo o Congresso Nacional, o STF (Supremo Tribunal Federal) e Doria, a quem os manifestantes ofendem de "calça apertada", "bandido" e "desgraçado".

As faixas e cartazes pedem a "intervenção militar com Bolsonaro no poder", o fechamento do STF e do Congresso Nacional. A reportagem notou a presença de muitas crianças que, sem máscara, participam do protesto ao lado de pais e responsáveis. A Polícia Militar de São Paulo acompanha a manifestação.

A maior concentração de manifestantes está entre as ruas Pamplona e Itapeva, onde as pessoas lotaram as duas vias da avenida em frente a um caminhão de som. Fora desse trecho, nos dois lados da avenida há um grande número de manifestantes, que estão dispersados ao longo das vias.

No Rio de Janeiro, a rua de acesso a praia de Copacabana foi interditada e centenas se aglomeraram a favor de Jair Bolsonaro. Trios elétricos, cartazes, tumulto e violação das medidas sanitárias de proteção à covid-19 marcaram o protesto carioca.

Em Brasília, cerca de 5.000 pessoas ocuparam o gramado do Congresso Nacional vestindo verde e amarelo, de acordo com deputados aliados ao governo. A PMDF (Polícia Militar do Distrito Federal) divulgou que não fez um levantamento de pessoas no local e que não houve registros de brigas. O presidente Jair Bolsonaro chegou a usar um helicóptero para sobrevoar o local.

Em ambas as cidades, as vias de acesso aos atos ficaram engarrafadas. Na capital do País, o Eixo Monumental, que cerca o Congresso Nacional, os Palácios e Ministérios, ficou interditado de veículos e pedestres com a camisa do Brasil. Ainda não há previsão de participação de parlamentares no ato em Brasília.

Já em São Paulo, o protesto começou às 9h em ruas do centro e na avenida Paulista e reúne também deputados favoráveis ao governo. No topo do caminhão de som, discursam apoiadores do presidente e parlamentares, como a deputada Carla Zambelli (PSL).

O presidente do PTB, Roberto Jefferson, fez um discurso, dizendo que "a raiz do mal está plantada no STF".

Postar um comentário (0)
Postagem Anterior Próxima Postagem